segunda-feira, novembro 19, 2007

Chamo-lhe Lolita

Chamo-lhe Lolita, não por qualquer falta de respeito, mas porque é o melhor adjectivo que encontrei para a definir.

Na juventude dos 20 anos, de corpo firme e bem definido, Lolita bamboleia-se pelos corredores com a certeza que não deixará de ser notada. Move-se dançado, exibindo orgulhosa os seus seios num decote ousado, daqueles que se usam quando se sabe o que se vale.

E ela sabe o que vale... não apenas pelo seu belo corpo ou belo decote, mas por tudo aquilo que é.

É o que é e é genuína. Custe o que custar. Mesmo que o preço seja elevado e muitas vezes é.

Sujeita a juízos de valor precipitados (eu própria também os teci e assumo o meu erro), mantém-se fiel a si mesma, sem hipocrisias, sem medos, cheia de vida, de mágoas (também) que a amadureceram mais do que exigido aos 20 anos.

Por amor àqueles que lhe são proximos tomou opções. Afastou-se de seus sonhos construindo outros diferentes. Num gesto de altruísmo, abdicou de parte de si... e isso faz dela uma pessoa feliz... uma GRANDE MULHER.

Parabéns Lolita, por seres como és!

Posted by Marília Pamies - Cake Designer at 12:04 da tarde