terça-feira, novembro 01, 2005

Se me permitem: Gostaria de ser como sou!

Hoje uma grande amiga minha, disse-me com alguma preocupação:

"Não te cansas de andar sempre de ténis? Não te cansas de ser esse ser híbrido assexuado? Tens 30 anos, devias assumir-te, calçar saltos altos e botas."

Não, não me canso de andar de ténis ou mocassains. É o que eu gosto de calçar.

aqui uma vez disse que não sou o suprassumo da feminilidade, nem faço disso o meu objectivo na vida.

O facto de me vestir como me apetece, sem grandes procupações não tem a ver com desleixo. Visto-me assim porque gosto. É assim que me sinto bem.

Podia ter mais cuidado? Até podia, mas para quê? Para andar o dia inteiro sem saber como me mexer na roupa que trago vestida?

Já andei assim muitos anos e sei que essa não é uma preocupação que eu quero ter.

Gastar tarde nas compras, em vez de gastar tardes com a Inês ou um bom livro? Não, muito obrigada.

Gastar tardes na manicure, em vez de ir ver um bom filme ao cinema? Não, muito obrigada.

Lamento que a minha maneira de estar traga preocupação aos que gostam de mim. Mas importam-se que eu me reserve ao direito de ser como sou?

Posted by Marília Pamies - Cake Designer at 10:56 da tarde

3 Comments

  1. Blogger rspiff posted at novembro 04, 2005 12:36 da tarde  
    Confesso que fiquei com curiosidade em conhecer o ser híbrido assexuado, lol

    Disseram-te mesmo isso? Com essas palavras?
  2. Blogger SaltaPocinhas posted at novembro 05, 2005 11:58 da tarde  
    olha que bom! Alguém como eu! é horrível vestir uma roupa aq ue não estamos habituadas e depois andarmos o tempo todo a não nos sentirmos nós! Uma sensação indescritivel. A ultima vez que fiz isso foi no inverno passado quando vesti uma saia, umas meias rendadas e botas altas... Ia morrendo! Aquela não era eu! A saia está guardada no sótão, as meias romperam-se nesse dia...só uso as botas porque de botas eu gosto!
  3. Blogger Vampiria posted at novembro 07, 2005 1:27 da manhã  
    Fica assim e não mudes. Vives para ti e não para os outros. Quem gostar, gosta como és e não como queriam que fosses!
    Também já senti isso e conheço a sensação, mas afinal de contas, o que conta é sermos verdadeiros e não imitações de outros.
    Parabéns por seres como és!

Enviar um comentário

« Home