sábado, julho 16, 2005

O Gelado Winnie The Pooh

As minhas férias estão a acabar, apenas me falta um fim-de-semana! Vou voltar à minha rotina.

Tenho indufitavelmente muitas saudades dos meus Rançosos, mas como vou ser capaz de despir o meu papel de mãe a 100%?

Vou retomar as saídas de casa com a Inês ainda a dormir e vou voltar a chegar a casa depois de ela já ter jantado. Só de pensar nisso sinto um aperto enorme no meu peito, em todo o meu corpo.

Sinto o sabor salgado das lágrimas.

Sinto saudade prematura, antecipando uma segunda-feira dura.

Hoje foi engraçado, ao sairmos da praia compro-lhe sempre o gelado que ela mais gosta: o Winnie The Pooh. Hoje não havia. Quando o senhor do café me disse que já não tinha achei que ela ia fazer uma birra daquelas de deixar cabelos em pé. Desde manhã que eu estava a prometer que quando saíssemos da praia que o comprava.

Mãe que é mãe não falta a promessas. Uma promessa é algo sonele. É um voto, um elo de confiança. Como confiamos em alguém que constantemente nos falta no que prometeu? Eu não confio... deixo de esperar seja o que for... não conto... e sinto-me sem valor para a pessoa em causa. Como tal, promessa feita à minha Inês, pagarei a todo o custo. E foi o que aconteceu.

"Não há filhota.."

Ela olha para o senhor com ar de quem analisa. Ele confirma. Ela aponta mais uma vez para a carta de gelados. Ele diz que já não há.

Ela faz aquele olhar, como quem diz: "e agora?"

"Amor, aqui não há, vamos comprar noutro lado?"

"Vamos mamã!"

E foi esta a postura dela ao longo de todo o percurso que tivemos que fazer para conseguir comprar o dito gelado. Tivemos que procurar tanto que ela adormeceu.

"Não faz mal" pensei eu... "compro à mesma! Come quando acordar ou depois de jantar."

Ela acordou assim que o carro parou à frente do café que era a minha última esperança. "Vou contigo!". E lá fomos. Compramos o gelado e saiu a colher cor-de-rosa, a cor que ela mais gosta.

Quando a sentei novamente no carro ela tira a chucha, dá-me um beijo e diz "Obrigado!"

Obrigada eu Inês, meu Doce Amor! Obrigada, simplesmente por existires!

Posted by Marília Pamies - Cake Designer at 12:46 da manhã

3 Comments

  1. Blogger Caracolinha posted at julho 16, 2005 6:15 da tarde  
    Se há coisa que eu adoro são crianças tolerantes ... esse é um valor essencial a passar desde a infância ... se souberem ser tolerantes vão sentir as frustrações da vida com menos intensidade e vão saber defender-se melhor.

    Beijinho Gelado ~:o)
  2. Blogger Abelhinha posted at julho 16, 2005 11:27 da tarde  
    Infelizmente a Inês não é sempre assim tão tolerante... há dias em que não para de reclamar e fazer birras! De tal forma que nem pára um pouco para eu lhe dar uma justificação para o "não" que ela está a ouvir.

    E eu confesso que não sei lidar com isso :(
  3. Blogger Dilbert posted at julho 26, 2005 10:47 da tarde  
    Oh pá abelhinha... lindo :)
    Vou a outro Post, beijokinhas e até já...

Enviar um comentário

« Home